Exemplos

  • - Pedreiro da catedral está aqui o padre Pedro? – Qual padre Pedro? – O padre Pedro Pires Pisco Pascoal. – Aqui na catedral tem três padres Pedros Pires Piscos Pascoais. Como em outras catedrais.
  • A aranha arranha a rã. A rã não arranha a aranha.
  • A batina do padre Pedro é preta.
  • A espingarda destravíncula-pinculá. Quem destravíncula ela, bom destravíncula-pinculador será.


  • A Iara agarra e amarra a rara arara de Araraquara.
  • A lontra prendeu a tromba do monstro de pedra e a prenda de prata de Pedro, o pedreiro.
  • A mulher barbada tem barba boba babada e um barbado bobo todo babado.
  • A pia perto do pinto, o pinto perto da pia, tanto mais a pia pinga, mais o pio pinta.
  • A pia pinga, o pinto pia, pinga a pia, pia o pinto, o pinto perto da pia, a pia perto do pinto.
  • A rua de paralelepípedo é toda paralelepipedada.
  • A sábia não sabia que o sábio sabia que o sabiá sabia que o sábio não sabia que o sabiá não sabia que a sábia não sabia que o sabiá sabia assobiar.
  • A tia limpa o prato com um trapo.
  • A vaca malhada foi molhada por outra vaca molhada e malhada.
  • A vida é uma sucessiva sucessão de sucessões que se sucedem sucessivamente, sem suceder o sucesso…
  • A Xuxa acha a Sasha chata e a Sacha acha a Xuxa chata!
  • Agá, agá, agá, a galinha quer botar. Ijê, ijê, ijê, minha mãe me deu uma surra, fui parar no Tietê. Alô, alô, o galo já cantou. Amarelo, amarelo, fui parar no cemitério. Roxo, roxo, fui parar dentro do cocho.
  • Aranha, ararinha, ariranha, aranhinha.
  • Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, apara o prato, pia o pinto e mia o gato
  • Atrás da pia tem um prato, um pinto e um gato. Pinga a pia, para o prato, pia o pinto e mia o gato.
  • Atrás da porta torta tem uma porca morta.
  • Atrás do quadro da escola bibliotécnica estava um papibaquígrafo.
  • Belmira Barbara Bras bordadeira baiana, bordava num barco bela blusa branca, aborda o barco num bote, o barítono Brejeiro, Bertoldo Barreto Brito, e brada a Belmira: “Bravo, beleza, bonita blusa!”
  • Bote a bota no bote e tire o pote do bote.
  • Bagre branco, branco bagre.
  • Casa suja, chão sujo.
  • Chico xereta chupava chupeta, chutou a caixinha e puxou a gaveta.
  • Chupa cana chupador de cana na cama chupa cana chuta cama cai no chão.
  • Cinco bicas, cinco pipas, cinco bombas. Tira da boca da bica, bota na boca da bomba.
  • Como pouco coco como, pouco coco compro.
  • Compadre compre pouca capa parda porque quem pouca capa parda compra pouca capa parda gasta. Eu pouca capa parda comprei e pouca capa parda gastei.
  • Comprei uma arara rara em Araraquara.
  • Disseram que na minha rua tem paralelepípedo feito de paralelogramos. Seis paralelogramos tem um paralelepípedo. Mil paralelepípedos tem uma paralelepipedovia. Uma paralelepipedovia tem mil paralelogramos. Então uma paralelepipedovia é uma paralelogramolândia?
  • É preto o prato do pato preto.
  • É crocogrilo? É crocodrilo? É cocrodilo? É cocodilho? É corcodilho? É crocrodilo? crocodilho? É corcrodilo? É cocordilo? É jacaré? Será que ninguém acerta O nome do crocodilo maré?
  • Em horas inda louras lindas Clorindas e Belindas, brandas brincam no tempo das berlindas as vindas vendo das varandas. (De um poema de Fernando Pessoa)
  • Em rápido rapto, um rápido rato raptou três ratos sem deixar rastros.
  • Em uma casa tem quatro quartos. Em cada quarto tem quatro quadro. E cada quadro é quadrado. Quantos quadros quadrados tem na casa?
  • Embaixo da pia tem um pinto que pia, quanto mais a pia pinga mais o pinto pia!
  • Esta burra torta trota Trota, trota, a burra torta. Trinca a murta, a murta brota Brota a murta ao pé da porta.
  • Feijão, melão, pinhão, mamão. Meijão, malão, feinhão, pimão. Pijão, feilão, manhão, memão. Majão, pilão, menhão, feimão.
  • Fia, fio a fio , fino fio, frio a frio.
  • Fui a Chaves, encontrei uma chapa de chumbo chapada no chão.
  • Fui ao mar colher cordões, vim do mar cordões colhi.
  • Fui caçar socó, caçei socó só, soquei socó no saco socando com um soco só.
  • Fui na casa do Tuta, o Tuta não tava lá. A muié do Tuta tando, é o mesmo que o Tuta tá.
  • Gato escondido com rabo de fora tá mais escondido que rabo escondido com gato de fora.
  • Há quatro quadros três e três quadros quatro. Sendo que quatro destes quadros são quadrados, um dos quadros quatro e três dos quadros três. Os três quadros que não são quadrados, são dois dos quadros quatro e um dos quadros três.
  • Lá atrás daquela jarra tem uma aranha rara. Tanto a aranha arranha a jarra quanto a jarra arranha a aranha.
  • Lá de trás de minha casa Tem um pé de umbu butando Umbu verde, umbu maduro, Umbu seco, umbu secando.
  • Lá vem o velho Félix com um velho fole nas costas. Tanto fede o velho Félix, como o velho fole do velho Félix fede.
  • Lalá, Lelé e Lili E suas filhas, Lalalá, Lelelé e Lilili E suas netas Lalelá, Lelalé e LeLali E suas bisnetas Lilelá, Lalilé e Lelali E suas tataranetas Laleli, Llalé e Lelilá cantavam em coro LALALALALALALALÁ.
  • Lanço o laço no salão. O lenço, lanço. A lança, não.
  • Lara amarra a arara rara, a rara arara de Araraquara.
  • Larga a tia, largatixa! Lagartixa, larga a tia! Só no dia que sua tia Chamar largatixa de lagartixa!
  • Lé com lé, cré com cré, um sapato em cada pé.
  • Luzia lustrava o lustre listrado, o lustre listrado luzia.
  • Maria-Mole é molenga, se não é molenga, Não é Maria-Mole. É coisa malemolente, Nem mala, nem mola, nem Maria, nem mole.
  • Mefistófeles Felestofisme Fez com que tomelesfisse os Lesfemistos e os Fisfemetoles com os Femetofisles e os Tolesmefifes Foi dái que nasceu um Mefistófeles Felestofismezinho.
  • Não confunda cafetão de gravata com capitão de fragata.
  • Não confunda espinafre de caçarolinha com espingarda de caçar rolinha.
  • Não confunda ornitorrinco com otorrinolaringologista, ornitorrinco com ornitologista, ornitologista com otorrinolaringologista, porque ornitorrinco é ornitorrinco, ornitologista é ornitologista, e otorrinolaringologista é otorrinolaringologista.
  • Não comprique as coizas simpres; depôs para descompricar as coizas simpres compricadas, é compricação compricadíssima!
  • Não sei se é fato ou se é fita, não sei se é fita ou fato. O fato é que você me fita e fita mesmo de fato.
  • No cume daquele morro, tem uma cobra enrodilhada. Quem a cobra desenrodilhá, bom desenrodilhadô será.
  • No morro chato, tem uma moça chata, com um tacho chato, no chato da cabeça. Moça chata, esse tacho chato é seu?
  • Num ninho de mafagafos tem seis mafagafinhos. Quem os desmafagafizar bom desmafagafizador será.
  • Nunca vi socó coçar sem bico, nunca vi sem bico socó coçar. Um socó, dois socós, três socós, quatro socós, quantos socós pra um só socó coçar.
  • O bispo de Constantinopla, é um bom desconstantinopolitanizador. Quem o desconstantinopolitanizar, um bom desconstantinopolitanizador será.
  • O chará chora. Em Araxá o chará achará chá.
  • O desinquivincavacador das caravelarias desinquivincavacaria as cavidades que deveriam ser desinquivincavacadas.
  • O doce perguntou pro doce qual era o doce que era mais doce e o doce respondeu pro doce que o doce que era mais doce era o doce de batata-doce.
  • O Juca ajuda: encaixa a caixa, agacha, engraxa.
  • O mameluco melancólico meditava e a megera megalocéfala, macabra e maquiavélica mastigava mostarda na maloca miasmática.
  • O meu vira lata usa gravata.
  • O ó que som tem? Ora de u, ora de ó.
  • O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! O original não se desoriginaliza! Se desoriginalizásemo-lo original não seria!
  • O original não se desoriginaliza.
  • O original nunca se desoriginou e nem nunca se desoriginalizará.
  • O padre Pedro deu uma topada na pedra preta.
  • O padre Pedro tem um prato de prata.
  • O padre pouca capa tem, pouca capa compra.
  • O Papa Paulo papa pato no prato de prata, no prato de prata o Papa Paulo papa pato.
  • O Pedro pregou um prego na pedra.
  • O peito do pé de Pedro é preto, se o peito do pé de pedro é preto, o pedro é preto.
  • O peito do pé de Pedro é preto. Quem disser que o peito do pé de Pedro é preto, tem o peito do pé mais preto do que o peito do pé de Pedro.
  • O pelo do peito do pé do pai do padre Pedro é preto.
  • O pelo do peito do pé do Pedro é preto.
  • O pinto pia, a pia pinga. Quanto mais o pinto pia, mais a pia pinga.

 

  • O princípio principal do príncipe principiava principalmente no princípio principesco da princesa.
  • O rato roer roía e, a Rosa Rita Ramalho, do rato a roer se ria!
  • O rato roeu a rolha da garrafa da rainha.
  • O rato roeu a roupa do Rei da Rússia que a Rainha, com raiva, resolveu remendar.
  • O rei de Roma ruma a Madri.
  • O Rio Capibariba está descapibarizado, quem o descapibarizou foi o descapibarizador.
  • O seu Tatá tá? Não, o seu Tatá não tá, mas quando o seu Tatá não tá, a mulher do seu Tatá tá, tá? Tá!
  • O tagarela tagarelador tagarelava na sua tagarelice. Se o tagarela tagarelador não tagarelasse, não seria tagarelice.
  • O tatu tá aí? Não, o tatu não tá, mas a mulher do tatu tando, é a mesma coisa que o tatu tá!
  • O tempo perguntou ao tempo qual é o tempo que o tempo tem. O tempo respondeu ao tempo que não tem tempo para dizer ao tempo que o tempo do tempo é o tempo que o tempo tem.
  • O Tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o Tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo, tempo tem.
  • Olha o sapo dentro do saco, o saco com o sapo dentro, o sapo batendo papo e o papo soltando o vento.
  • Os naturistas são naturalmente naturais por natureza.
  • Paga o pato, dorme o gato, Foge o rato, paga o gato, Dorme o rato, foge o pato Paga o rato, dorme o pato, Foge o gato.
  • Passava mas nao passou porque passou quem passou; se nao passase quem passou, passava, mas nao passou.
  • Paulo Pereira Pinto Peixoto, pobre pintor português, pinta perfeitamente, portas, paredes e pias, por parco preço, patrão.
  • Pedro pediu permissão para passar pelo portão para pegar o pinto pelado pelo pescoço.
  • Pedro Pereira Pedrosa pediu passagem para Pirapora.
  • Pedro pregou um prego na porta preta.
  • Pedro tem o peito preto. Preto é o peito de Pedro. Quem disser que o peito de Pedro não é preto, tem o peito mais preto que o peito de Pedro.
  • Percebeste ou fingiste que percebeste para que os outros percebessem que tivesses percebido, percebeste?
  • Perlustrando patética petição produzida pela postulante, prevemos possibilidade para pervencê-la porquanto perecem pressupostos primários permissíveis para propugnar pelo presente pleito pois prejulgamos pugna pretárita perfeitíssima.
  • Perto daquele ripado está palrando um pardal pardo. – Pardal pardo porque palras? – Eu palro e palrarei porque sou o pardal pardo palrador D’el Rei!
  • Pinga a pia apara o prato, pia o pinto e mia o gato
  • Pode passar, porteiro, para pegar peixe piau.
  • Qual é o doce que é mais doce que o doce de batata doce? Respondi que o doce que é mais doce que o doce de batata doce é o doce que é feito com o doce do doce de batata doce.
  • Quando digo digo, digo digo não digo Diogo. Quando digo Diogo, digo Diogo não digo digo!
  • Quando toca a retreta, na praça repleta, se cala o trombone, se toca a trombeta.
  • Quem cara paca compra, paca cara pagará.
  • Quem embaralhar um baralho bem embaralhado, bom embaralhador de baralho será.
  • Quem for um parangamirotirimiariadolizador será um parangamirotirimiroaro
  • Quico quer caqui. Que caqui que o Quico quer? O Quico quer qualquer caqui.
  • Rebola reboladeira, menina reboladora. Rebolando é que se rebola, cuidado para não pegar o “amigo” do ebola!
  • Rosa vai dizer à Rita que o rato roeu a roupa do rei de Roma.
  • Sabendo o que sei e sabendo o que sabes e o que não sabes e o que não sabemos, ambos saberemos se somos sábios, sabidos ou simplesmente saberemos se somos sabedores.
  • Se a liga me ligasse, eu também ligava a liga, mas a liga não me liga, eu também não ligo a liga./li>
  • Se cá nevasse, fazia-se cá ski.
  • Se cada um vai a casa de cada um é porque cada um quer que cada um lá vá. Porque se cada um não fosse a casa de cada um é porque cada um não queria que cada um fôsse lá.
  • Se o Arcebispo-Bispo de Constantinopla a quisesse desconstantinoplizar, não haveria desconstantinoplizador que a desconstantinoplizasse desconstantinoplizadoramente.
  • Se o príncipe de Constantinopla quisesse se desconstantinopolizar qual seria o desconstantinopolizador que iria a Constantinopla para descontantinopolizá-lo?
  • Se tu pensas que em ti penso, se pensas assim pensas mal, pois eu não penso em ti nem penso em pensar em tal.
  • Se vaivém fosse e viesse, vaivém ia, mas como vaivém vai e não vem, vaivém não vai.
  • Sei o que sei, sabemos o que sabes; o que não sabes é o que sabemos. Sabemos como sabem os sábios com seus saborosos saberes.
  • Sobre aquela serra há uma arara loura. A arara loura falará? Fala, arara loura!
  • Tati Tatibitate titubeou no Tibete. Em Atibaia bateu as botas. Em Itumbiara, itaquaquecetubou.
  • Tecelão tece o tecido, em sete sedas de Sião. Tem sido a seda tecida, na sorte do tecelão.
  • Tem uma tatu-peba, com sete tatu-pebinha. Quem destatupebá ela, bom destatupebador será.
  • Tinha tanta anta tantã, tinha tanta anta antiga, tinha tanta anta que era tia, tinha tanta tia que era anta.
  • Toco preto, porco fresco, corpo crespo.
  • Trazei três pratos de trigo para três tigres tristes comerem.
  • Três tigres tristes atrasaram o trem.
  • Três Tigres tristes comiam em um prato de trigo.
  • Um dois três quatro foi na rua vinte e quatro que a mulher partiu o prato, o prato derreteu e a mulher morreu.
  • Um limão, mil limões, um milhão de limões.
  • Um ninho de carrapatos, cheio de carrapatinhos, qual o bom carrapateador, que o descarrapateará?
  • Um ninho de mafagafos tem sete mafagafinhos, quando a mãe mafagafo dá comida aos sete mafagafinhos, eles fazem semelhante mafagafada que ninguém os mafagafaguifa.
  • Um ninho de mafagafos, tinha 7 mafagafinhos. Quem desmafagar esses mafagafinhos bom desmafigador será.
  • Um prato de papa dentro do papo do papa.
  • Um prato de trigo para um tigre, dois pratos de trigo para dois tigres, três pratos de trigo para três tigres, etc…
  • Um tigre, dois tigres, três tigres.
  • Uma aranha dentro da jarra. Nem a jarra arranha a aranha nem a aranha arranha a jarra.
  • Uma jabuticabeira velha, pergunta para uma pequenina jabuticabeira: – Jabuticabeira pequenina, quanto te despequeninajabuticabeirarizas tú? Então, a pequenina jabuticabeira falou: -Eu me despequeninajabuticabeirarizarei ao se despequeninajabuticabeirarizarem todas as pequeninas jabuticabeiras ainda não despequeninajabuticabeirarizadas.
  • Uma trinca de pregos pregou Jesus na cruz do meu amigo avestruz.
  • Uma trinca de trancas trancou tancredo.
  • Vaca preta, boi pintado.
  • Velha furunfufelha e seu velho furunfunfelho, tudo desfunrunfelhado.
  • Verbo tagarelar no tempo condicional: - Eu tagarelaria – Tu tagarelarias – Ele tagarelaria – Nós tagarelaríamos – Vós tagarelaríeis – Eles tagarelariam.